Nathan Chen

quinta-feira, 17 de agosto de 2017
Olá, tudo bem?

Hoje vamos falar de mais um patinador: Nathan Chen.

Fonte

Nathan nasceu em Salt Lake City, em 1999. Ele veio de uma família de imigrantes chineses que se mudou para os EUA em 1988. Ele começou a patinar com 3 anos. A sua mãe conta que a primeira vez que patinou, ele gostou tanto da experiência que chorou quando teve que sair do rink para que o gelo fosse arrumado.

Além da patinação, Nathan já fez balé e ginástica artística.

Em 2011-2012, ele venceu o nacional dos EUA na categoria júnior. Em 2012-2013, estreou no Grand Prix Junior, vencendo a etapa da Áustria. Mas uma lesão impediu que prosseguisse no evento. No Nacional Júnior ele conquistou o bronze.

Na temporada de 2013-2014, Nathan venceu as duas etapas no Grand Prix Júnior que participou e ficou em terceiro lugar na final. No Mundial Júnior, ele também ficou na terceira posição.

Em 2014-2015, Nathan ficou em segundo lugar na etapa da Croácia do Grand Prix e em quarto no Mundial Júnior. Pela primeira vez, ele participou da categoria sênior do Nacional, ficando em oitavo.

A temporada de 2015-2016 marcaria a transição definitiva para o sênior nas competições internacionais. Nathan participou do Grand Prix Júnior, vencendo a final pela primeira vez. No Nacional dos EUA, ele conseguiu a terceira posição. Ele participaria ainda dos Mundial Júnior e do Mundial, mas sofreu uma séria lesão na região do quadril. Como resultado, ele teve que fazer uma cirurgia e ficar 6 meses fora do gelo.

Fonte


Em 2016-2017, Nathan voltou às competições, ficando em quarto e em segundo lugar nas duas etapas em que participou. Foi na final que ele começou a surpreender, ficando em segundo lugar, deixando para trás nomes como Shouma Uno, Patrick Chan e Javier Fernandez.  No  Campeonato dos Quatro Continentes, ele obteve sua primeira vitória de uma competição sênior internacional, superando Yuzuru Hanyu. Em seu programa longo, Nathan foi o primeiro homem a conseguir executar com sucesso 5 quádruplos.

Nathan atualmente treina em Michigan e na Califórnia. Alguns de seus rivais acabaram se tornando seus amigos, como Adam Rippon e Patrick Chan.

A parte artística acabou ficando um pouco em segundo plano no desenvolvimento de Nathan como patinador. Ele se focou mais na parte atlética, chegando aos saltos quádruplos. Recentemente, ele vem trabalhando em melhorar o lado artístico.

Já falamos mais um pouco sobre a vida pessoal dele neste post aqui.

Até mais!


Sites sobre patinação

quinta-feira, 10 de agosto de 2017
Olá, tudo bem?
Hoje vamos falar sobre alguns sites interessantes relacionados à patinação. Aqui no blog usamos muitos deles como fonte de informação para as postagens. A maioria deles está em inglês. Segue a lista:

http://www.isu.org/en/home


É o site oficial da ISU. Lá podemos ver datas de competições, resultados detalhados (inclusive com os protocolos de notas), regras do esporte, além de uma revista (ISU World), que pode ser lida online. Também não podemos esquecer do canal de Youtube ISU Junior Grand Prix, que apresenta as etapas do Grand Prix Junior.

O Golden Skate tem várias reportagens sobre eventos e patinadores, além de um fórum com usuários bem ativos.


https://www.ifsmagazine.com/

 

Essa é uma revista sobre patinação. Embora seja paga, é possível acessar alguns conteúdos de graça.

https://www.fsuniverse.net/forum/

 

Este é outro fórum bem movimentado. Bom para ver informações rápidas sobre competições.

https://www.olympic.org/figure-skating

 


 Essa página fala sobre atletas e eventos, tendo em vista as Olimpíadas.


http://web.icenetwork.com/home


Outra página com muitas notícias sobre patinação. Eles também possuem um serviço de assinaturas com transmissão dos eventos de patinação, mas é bem caro.

http://magiageladapatinagememportugues.blogspot.com.br/

 

Esse é um blog português sobre patinação. Lá tem muitas informações sobre competições, tradução de entrevistas e análises do desempenho dos patinadores conforme os protocolos.

http://www.cbdg.org.br/ 

 

É o site da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo. Lá podemos ver informações sobre os atletas brasileiros.



E você, tem alguma outra página que indicaria?

Até mais?

Como funcionam as principais competições

domingo, 6 de agosto de 2017

Olá, tudo bem?

Hoje vamos falar um pouco sobre o funcionamento das principais competições.

Fonte

Nacionais



Começamos com os Nacionais. Esses eventos não são de responsabilidade da ISU, mas das federações de cada país. As regras podem variar conforme o país. Geralmente há competições regionais prévias para classificar os atletas para o evento em si, mas os principais nomes não costumam participar dessas etapas classificatórias. Além das categorias do sênior, há competições de júnior, novice e outras categorias. Esses eventos são muito importantes para a definição dos times de cada país. Para o atleta, ser escolhido para o time significa a possibilidade de participar dos principais eventos internacionais, como os Jogos Olímpicos, Mundial, Europeu e Campeonato dos Quatro Continentes.

É importante lembrar que a escolha do time nacional não necessariamente vai seguir a ordem do Nacional. Alguns países usam outros critérios para montar a equipe, como o desempenho no Grand Prix. É difícil que alguém que chegue na final do Grand Prix perca o lugar no time por causa de um mau  desempenho no Nacional, a não ser que muitos atletas do mesmo país cheguem a final.

Em geral, os nacionais acontecem após o Grand Prix e antes do Europeu e do Campeonato dos Quatro Continentes.

Campeonato Europeu


O Campeonato Europeu acontece entre o Grand Prix e o Mundial e envolve patinadores de toda a Europa, inclusive de Israel e Turquia. O número de vagas por país é escolhido com base nas colocações antigas no mesmo campeonato. Dependendo da performance anterior, as nações recebem 3, 2 ou 1 vaga. Ou seja, mesmo que um país tenha muitos atletas bons, no máximo poderá enviar 3 por categoria, abrindo espaço para patinadores de nível menor que defendem outros países. Há também um índice técnico mínimo para o atleta entrar no evento. Os países enviam os atletas classificados em seus times, podendo usar substitutos caso os patinadores do time não queiram ou não possam participar do evento.

Campeonato dos Quatro Continentes


O Campeonato dos Quatro Continentes funciona de forma semelhante ao Europeu, com a diferença de que participam atletas de todos os outros continentes que não sejam a Europa. Daí o nome "quatro continentes", que se refere a América, África, Ásia e Oceania.

Mundial


O Mundial acontece após o  Europeu e o Campeonato dos Quatro Continentes e envolve os atletas de todo o mundo. A distribuição de vagas por países funciona da mesma forma que esses outros campeonatos. Temos também os índices técnicos mínimos que devem ser atingido pelos atletas. Novamente vemos a importância do time nacional, que define os atletas que participarão desse evento. Esse é considerado o principal torneio de um ano que não tem Olimpíadas.

Grand Prix


O Grand Prix tem 6 etapas: NHK Trophy (Japão), Rostelecom Cup (Rússia), Cup of China (China), Skate América (EUA), Skate Canadá (Canadá) e Trophé de France (França). Geralmente, os patinadores participam de 2 eventos, mas há casos em que competem em apenas 1. Os lugares em que eles terminam a competição valem um determinado número de pontos (exemplo: 1º lugar 15, 2º 13). Soma-se os pontos dos dois eventos que o patinador participa. Os 6 melhores colocados após a disputa dos 6 eventos se classificam para a final. Caso um patinador participe de apenas uma etapa, ele ficará apenas com os pontos dela e é praticamente certo que não se classificará para a final.

Ao contrário dos outros eventos, as federações podem enviar mais do que 3 patinadores para disputar as etapas, com o limite de 3 para a mesma etapa. Por causa disso, ele acaba sendo a porta de entrada para nomes novos ou de segundo escalão de países com times muito fortes, como Rússia e Japão.

Também é importante lembrar que na final do Grand Prix competem sempre os 6 melhores, não importando que tenham mais de 3 patinadores de um país. Isso aconteceu recentemente na categoria feminina, em que tivemos 4 russas se apresentando na final de 2016/2017.

Olimpíadas


Finalmente, temos as Olimpíadas, a qual já demos maiores detalhes neste post. A regra é parecida com o Mundial: temos as vagas por país e índices mínimos. Na etapa de repescagem (Nebelhorn Trophy, em setembro) só serão decididas vagas únicas para cada país, já que todos os times que conquistaram 2 ou 3 vagas já as receberam no Mundial. No caso da Isadora, por exemplo, o que realmente está em disputa é uma vaga para o time do Brasil, que será composto de uma atleta. Como ela é a melhor atleta, acaba que a vaga já vai ser dela de qualquer forma. Imagino que seja esse o caso da maioria dos outros países que não se classificaram.

Por hoje ficamos por aqui.

Até mais!



5 dicas para recuperar os músculos depois do treino

quinta-feira, 3 de agosto de 2017
Olá!

Quem patina e/ou pratica qualquer outra atividade pode ter dores musculares constantemente. Se você treina com frequência pode não ter tempo para deixar que seus músculos se recuperem naturalmente. Hoje trouxemos algumas dicas para ajudar nessa recuperação.


1. Massagem

Você pode usar uma bolinha como esta ou rolos de espuma e rolos para massagem. Esses itens não são caros e você pode usar sempre que terminar o treino ou sentir dores. Você também pode investir em uma máquina massageadora, pois são bem práticas. Se você pesquisar dá para achar alguns modelos bem baratos. De vez em quando você também pode fazer uma massagem relaxante ou desportiva. Vale a pena ficar de olho em sites de ofertas (como Groupon ou Peixe Urbano), para comprar com um preço promocional.




2. Sal Epsom

O sal Epsom (sulfato de magnésio) tem muitos benefícios, e um deles é aliviar dores e cãibras musculares. Ele também é usado para relaxar o corpo, além de aliviar entorses e contusões. Você pode usar durante o banho sempre que estiver com dores.




3. Gelo

Gelo deve ser uma das coisas mais conhecidas para aliviar as dores musculares. Use e abuse quando sentir dores. Atletas costumam literalmente entrar em banheiras com gelo! Você pode fazer compressas nos músculos afetados até que a dor suma.




4. Alongamento

Fazer alongamento também ajuda a relaxar e recuperar os músculos. Não deixe de se alongar antes e depois dos treinos. Quando estiver com dores musculares faça pequenas sessões de alongamento ao longo do dia nos músculos afetados.




5. Máquina de pressão de ar

As máquinas de pressão de ar ajudam a aliviar a dor e o cansaço muscular e melhoram a circulação do sangue. Elas são indicadas para quem pratica esportes, pois ajudam a remover o ácido lático. Elas são mais caras (a partir de 60 dólares), mas quem sofre de dores musculares constantemente pode querer investir neste equipamento. 




 
Até o próximo post!

Calendário da temporada 2017/2018

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Olá, tudo bem?

A temporada 2017/2018 já começou e este mês já teremos um evento importante (primeira etapa do Grand Prix Junior). Em setembro será o Nebelhorn Trophy, evento que definirá as vagas restantes para as Olimpíadas. O Grand Prix sênior começa em outubro, terminando em dezembro. Os nacionais mais importantes serão em dezembro ou janeiro. O evento mais importante será as Olimpíadas, em  fevereiro. O Mundial será no final de março. Segue a lista com os eventos mais relevantes. A lista completa dos eventos da ISU pode ser vista aqui (lembrando que eles não indicam as datas dos nacionais lá).

Fonte


Agosto


21 - 26 | International Adult Figure Skating Competition, Vancouver (Canadá)

23 - 26 | Grand Prix Junior, Brisbane (Austrália)

31 - 2 | (setembro) Grand Prix Junior, Alzburg (Áustria)

Setembro


6 - 9 | Grand Prix Junior, Riga (Lituânia)

14 - 17 | Lombardia Trophy, Bergamo (Itália)

20 - 24 | Grand Prix Junior, Minsk (Bielorrussia)

20 - 23 | Autumn Classic International, Montreal (Canadá)

27 - 30 | Grand Prix Junior, Zagreb (Croácia)

27 - 30 | Nebelhorn Trophy, Oberstdorf (Alemanha)

Outubro


4 - 7 | Grand Prix Junior, Gdansk (Polônia)

6 - 8 | Finlandia Trophy, Espoo (Finlândia)

11 - 14 | Grand Prix Junior, Egna (Itália)

20 - 22 | Grand Prix - Copa Rostelecom, Moscou (Rússia)

27 - 29 | Grand Prix - Skate Canadá, Regina (Canadá)

Novembro


3 - 5 | Grand Prix - Copa da China, Pequim (China)

10 - 12 | Grand Prix - Troféu NHK, Osaka (Japão)

17 -19 | Grand Prix - Internationaux de France, Grenoble (França)

24 - 26 | Grand Prix - Skate America, Lake Placid (EUA)

24 - 26 | Shanghai Trophy, Shangai (China)

Dezembro

 
6 - 9 | Golden Spin of Zagreb, Zagreb (Croácia)

7 - 10 | Final do Grand Prix, Nagoya (Japão)

19 - 24 | Nacional da Rússia, São Petersburgo

20 - 24 | Nacional do Japão, Tóquio

29 - 8 | (janeiro) Nacional dos EUA, São José

Janeiro


8 - 14 | Nacional do Canadá, Vancouver

15 - 21 | Campeonato Europeu, Moscou (Rússia)

22 -27 | Campaonato dos Quatro Continentes, Taipei (Taiwan)

Fevereiro

 

9 - 25 | Olimpíadas de Inverno, PyeongChang (Coréia do Sul)

Março


5 - 11 | Mundial Junior, Sofia (Bulgária)

19 - 25 | Mundial, Milão (Itália)

Abril


Team Challange Cup, sem sede definida (EUA)



Quais eventos vocês mais querem ver? 

Até mais!



Voltando a treinar depois de uma lesão: trabalhando o lado psicológico

domingo, 30 de julho de 2017
Boa noite!

A patinação é um esporte em que é preciso ter confiança em si mesmo. Muitas vezes os patinadores passam por algum problema que os abala emocionalmente, especialmente as lesões sérias. Hoje vamos dar algumas dicas para esses momentos com base neste artigo.


 Fonte


Faça tudo no seu tempo

Patine no nível que te deixa mais confortável. Você não precisa recomeçar exatamente de onde parou. Escolha um nível mais baixo que te deixe mais confiante e aos poucos vá voltando para o seu nível real. Você acabou se passar por um problema e não deve se cobrar demais.

Utilize equipamentos de segurança

Se você passou por uma lesão e está inseguro, é melhor usar algo que te dê confiança para recomeçar. Quando você estiver melhor pode deixá-los de lado. Já fizemos um post falando sobre esses equipamentos.

 Esqueça que tem pessoas te olhando

Se você está inseguro, tente fingir que não tem ninguém por perto te observando. Tente também não se preocupar com o que os outros podem pensar de você.

Patine com alguém

Se você estiver inseguro demais, patine com um amigo ou com seu treinador. Peça que essa pessoa fique demore ao seu lado e dê voltas e voltas no rink até que você se sinta confiante o suficiente para patinar sozinho.

Ouça seu médico

Só volte a patinar quando seu médico te liberar, e siga direitinho as recomendações do mesmo. Esqueça o calendário de competições. O mais importante agora é você se recuperar bem. Tire o tempo necessário para isso.


Também fizemos um post específico para quem se lesionou e ainda não está 100% bem fisicamente. 

Até o próximo post!


Alguns equipamentos auxiliares para o treino de patinação

quinta-feira, 27 de julho de 2017
Olá, tudo bem?

Hoje vamos ver alguns equipamentos que são usados para auxiliar no treino de patinadores. Quando (e se) usa-los depende de cada patinador ou treinador. 

Para quem não viu, já falamos de alguns equipamentos de segurança que são usados em algumas situações, principalmente por exigência de algumas pistas de patinação.

Faixa elástica


Essa faixa é muito usada para exercícios de pilates. Ela é muito útil para exercícios de flexibilidade, uma habilidade fundamental para os patinadores.

Fonte




Jumping harness


Esse equipamento auxilia o treinamento de saltos. Com ele é possível  dirigir a curva na decolagem, trabalhar a posição do patinador no ar e corrigir falhas no pouso. Com ele, é possível diminuir o tempo de aprendizagem nos saltos. Outra vantagem do equipamento é ajudar na confiança dos patinadores. Ao tentar um salto sem ter confiança o suficiente, o atleta pode segurar a força em vez de se lançar no ar com convicção por medo de cair e se machucar. Isso vai acarretar menor rotação e até saltos abortados. Com o jumping harness, o patinador deixa de ter receio e pode saltar dando tudo de si.

Skating Spinner


Com o spinner é possível treinar spins fora do gelo. Além de ajudar a controlar a tontura, é possível emular as posições corretas, ajudando a criar memória muscular.




Ankle buzzer


O ankle buzzer é um equipamento a ser colocado no tornozelo que fez barulho ao encostar em alguma coisa. É usado para auxiliar o patinador a manter a correta posição das pernas e dos pés durante um salto.





E vocês, conhecem algum outro equipamento auxiliar na patinação?

Até mais!

Patinadores no dia a dia | Ashley Wagner e Yuzuru Hanyu

terça-feira, 25 de julho de 2017
Boa noite!

Hoje vamos falar mais sobre as outras atividades dos patinadores. Dessa vez os escolhidos foram a patinadora americana Ashley Wagner e o patinador japonês Yuzuru Hanyu.


Ashley Wagner


https://www.instagram.com/p/BTemzgjAl-5/?taken-by=ashwagner2010


Ashley é uma das principais patinadoras americanas da atualidade. Ela tem 26 anos e estuda jornalismo esportivo na universidade. Ela pretende seguir essa profissão quando parar de patinar. Seu esporte favorito é hóquei. Ela adora fazer caminhada, yoga e stand up paddle board.Ela também gosta de correr na praia.

https://www.instagram.com/p/BTZlTD1gqNp/?taken-by=ashwagner2010
Fonte


Ashley também gosta de ler, assistir filmes e séries. Já notaram que ela gosta de usar trilhas de filmes em seus programas? Ela também costuma comentar o Oscar no Twitter com seu melhor amigo, Adam Rippon. Suas séries favoritas são The Office, Gilmore Girls e House



https://www.instagram.com/p/BNk1CuQBrew/?taken-by=ashwagner2010
Fonte


Ashley adora cafés e limonada. Sua comida favorita é quesadilla de frango.
Vocês sabiam que a Ashley nasceu na Alemanha? Ela é filha de militares americanos e nasceu em uma base. Ela adora a Alemanha e sabe falar alemão.


https://www.instagram.com/p/BWDwnFygPDc/?taken-by=ashwagner2010
Fonte



Yuzuru Hanyu


Fonte


 Yuzuru é um dos patinadores mais queridos de todos os tempos. Ele tem 22 anos e atualmente estuda informática humana e ciências cognitivas na universidade.

 
 Fonte


Ele ama ouvir música e cantar. Seus estilos de música favoritos são rock e J-pop. Ele coleciona fones de ouvido. Na verdade ele é obcecado por fones!



 Fonte


Ele adora um jogo chamado Monster Hunter Cross. Ele gosta de jogar online com os amigos. Outro esporte que ele curte bastante é baseball. Ele também gosta de kendama.



 Fonte


 

As comidas que o Yuzu mais gosta são as japonesas, especialmente tofu. Ele gosta bastante de gyoza, sushi e mizudaki.

Fonte

 Para finalizar, vocês sabiam que os animais favoritos do Yuzu são gato e hamster?

Fonte


 Gostaram de saber um pouco mais sobre a Ashley e sobre o Yuzu? Esperamos que sim! Fiquem a vontade para deixar sugestões para os próximos posts desta série.

Até a próxima! :)

Spins | Ilusion e Butterfly

domingo, 23 de julho de 2017
Olá, tudo bem?

Hoje vamos terminar a parte de spins, vendo alguns movimentos que não são tratados isoladamente na pontuação, mas sim dentro de outras modalidades de spins.

Ilusion


Nesse movimento, o peso do corpo permanece em um pé, enquanto o pé livre gira acima do corpo, enquanto a parte da frente fica abaixada. Esse movimento é considerado como parte do camel spin para fins de pontuação.

Curiosamente, ele foi criado a partir de um erro na execução de um camel spin. A patinadora Jacqueline du Bief perdeu o controle na entrada do spin e acabou fazendo este movimento.

Um exemplo de ilusion pode ser visto aqui.



Butterfly


O butterfly pode ser facilmente aprendido após o patinador dominar o flying camel. É uma espécie de estrelinha com o corpo ficando horizontal ao gelo, assim como o flying camel. A diferença está no arco feito com as pernas acima do corpo bem após a decolagem.

Um exemplo de butterfly pode ser visto aqui. Geralmente é usada como entrada para o flying camel


Fonte


Assim terminamos a parte de spins. As outras postagens podem ser vistas aqui:

Spins - informações básicas

Camel Spin

Layback spin e Biellmann

Flying Spin e combinações

Glossário de patinação artística no gelo | spins


Até mais!

Voltando a treinar depois de uma lesão

quinta-feira, 20 de julho de 2017
Boa noite!

Infelizmente os patinadores estão sujeitos a lesões, seja por forçarem demais os músculos e ligamentos, seja por algum acidente. Já fizemos um post falando sobre isso. Hoje resolvermos dar algumas dicas para quem se machucou e está voltando a treinar.

https://i.cbc.ca/1.3336851.1448479878!/fileImage/httpImage/image.jpg_gen/derivatives/16x9_1180/hi-yuzuru-hanyu-injury-getty458630778.jpg


Se você ainda está sentindo dor, não se force. Respeite o ritmo do seu corpo. Se você ainda não melhorou 100% pode acabar piorando se forçar a barra.

Siga rigorosamente as recomendações do seu médico. Você quer melhorar, não piorar. Se o médico não te liberou para saltar ou fazer alguma outra atividade, não faça. Quando seu corpo estiver pronto ele vai te liberar. Até lá faça apenas as atividades liberadas.

Sempre fale para seu médico se estiver sentindo dor durante as atividades. Não minta sobre isso. Mesmo que você ache que ele pode restringir seu treino, é importante você ser honesto para que ele te ajude a se recuperar corretamente.


https://usatq.files.wordpress.com/2014/11/ap_china_cup_of_china_figure_skating_68585944.jpg


Já vimos muitos patinadores de elite lesionados, que continuaram competindo e se forçando e seu problema se agravou bastante. Um exemplo disso é a Satoko Miyahara, que já estava machucada e ainda assim competiu no Nacional na temporada passada. Depois disso ela passou o resto da temporada impossibilitada de competir. 

Outro caso que aconteceu na temporada passada foi o do chinês Han Yan. Ele teve uma sucessão de lesões no mesmo lugar e continuou treinando intensamente, até que se tornou um problema maior e ele precisou fazer uma cirurgia e parar de competir o resto da temporada.

Logo no início da temporada passada a Yulia Lisnitskaya tentou competir, mesmo não estando 100%. No fim ela também precisou se afastar para se recuperar melhor.

O melhor é se recuperar direitinho e só voltar quando tudo estiver certo. Não vale a pena correr o risco de piorar a lesão. Estamos pensando em fazer um post com alguns acidentes que aconteceram em competições.

Também é importante que os patinadores façam todo o possível para evitar lesões, fazendo corretamente os exercícios de warm-up, flexibilidade e cool-down, além de seguir corretamente as recomendações do treinador. Já postamos até um check-list. Tem muitos casos de lesões que impedem o patinador de voltar aos rinks definitivamente. Por isso todo cuidado é pouco.


Até o próximo post!



Review | Brasília Ice Park

terça-feira, 18 de julho de 2017
Olá, tudo bem?

Hoje vamos falar sobre a pista de patinação do Brasília Ice Park,  montada no Pontão, a beira do lago Paranoá.

Fonte

Para chegar a pista, é necessário primeiro entrar na área do evento, pagando R$5,00 de terça a sexta ou R$10,00 sábado e domingo. Para patinar, os preços são R$30,00 por meia hora de terça a sexta e R$50,00 por meia hora sábado e domingo. Além da patinação, há lugares para comer, cinema ao ar livre, brinquedos para as crianças e shows em alguns horários.

O principal problema começa antes de chegar a pista. O evento tem atraído muita gente e por causa disso, a fila de espera pode durar horas. Ao contrário de outras pistas, em que há uma fila e os patinadores compram e vão entrando direto, lá você compra a pulseira e entra numa lista de espera, para depois ser chamado e se preparar para entrar. Seria bem pensado, mas infelizmente a simples compra e colocação da pulseira pode demorar muito tempo. Outro problema é a falta de continuidade na saída e entrada de pessoas, que faz com que às vezes a pista fique mais vazia quando essa troca poderia ser mais rápida, diminuindo um pouco o tempo de espera.

Não testamos os equipamentos, mas os patins pareceram bem razoáveis. Claro que só dá para ter certeza usando.


A pista em si é boa. O gelo é bem arrumado, o tamanho é grande para os padrões brasileiros e a vista do lago é muito bonita. E o melhor de tudo: nada de pilastras, ao contrário de pelo menos 90% das pistas que vemos no Brasil.

Há também a possibilidade de fazer aulas de patinação no local. É uma oportunidade que raras vezes temos aqui no Brasil. Para saber mais, basta perguntar aos funcionários da pista.

Enfim, a pista em si é boa, mas entrar lá é difícil. O ideal é tentar ir em um horário bem alternativo, ou então esperar para ficar lá por horas. 


Até mais!


5 Dicas de lanches para levar para o treino

domingo, 16 de julho de 2017
Boa noite!

Já fizemos um post falando sobre a alimentação dos patinadores. Também traduzimos um artigo bem interessante com algumas dicas da patinadora Meagan Duhamel. Hoje resolvemos trazer uma listinha de lanches rápidos, leves e saudáveis que vão te manter alimentado e ajudar no seu desempenho. Esses lanches são fáceis de preparar previamente em casa e levar na bolsa para comer antes ou depois do treino.


Smoothies de frutas

Você só precisa bater alguma fruta (ou um mix delas) com leite. Algumas frutas recomendadas são: maçã, banana e laranja.


Saladas

Você pode preparar saladas bem completas, com uma variedade de vegetais, leguminosa, proteína e carboidrato. As saladas no pote são muito práticas para carregar e comer em qualquer lugar.


Sanduíches

Super fáceis de fazer e muito saborosos. Você pode usar atum, presunto, frango ou ovo e colocar um mix de vegetais. 
Mix de nuts

Castanhas, nozes, amêndoas, avelã e amendoim são muito boas para a saúde, além de ser um lanche prático e gostoso. Você pode carregar em um saquinho ou pote pequeno e comer facilmente quando precisar.


Sucos de frutas e/ou vegetais

Os sucos possuem carboidrato e são uma boa opção para aquela explosão de energia. Evite colocar açúcar. Algumas dicas são os sucos de tomate, beterraba e ameixa.






Lembramos que não somos nutricionistas. Essas são dicas bem gerais, que servem para qualquer pessoa. Se você treina, não deixe de consultar seu nutricionista para saber o que é mais recomendado para o seu caso.

Até o próximo post!

Review | Um casal quase perfeito 2

quinta-feira, 13 de julho de 2017
Olá, tudo bem?

Hoje vamos falar melhor sobre outro filme de patinação: Um casal quase perfeito 2 (The Cutting Edge: Going for Gold, de 2006).

Fonte


O filme narra a história de uma patinadora (Jackie) que sofreu uma lesão séria enquanto treinava na categoria feminina. Ela passa férias na praia e lá encontra um surfista/patinador inline (Alex) com quem tem um encontro. As coisas não dão certo, eles brigam e ela volta da viagem. Após voltar, Jackie resolve migrar para a categoria pares, mas tem uma grande dificuldade em encontrar um parceiro. É aí que ela encontra Alex, que migrou do inline para o gelo somente para fazer o teste. A partir daí, eles seguem entre brigas e momentos de ternura, dispostos a tentar o ouro nas Olimpíadas.

O filme é muito mais uma comédia romântica do que uma história sobre patinação, que é meio deixada de lado. O foco é totalmente na relação dos dois. Daí segue o episódio mais bizarro que eu já vi em um filme de patinação: um patinador inline treinar 3 meses com garotinhas de 10 anos e se tornar um patinador de gelo profissional, que inclusive tinha chances de ir às Olimpíadas. Sim, é um filme casual, mas isso é de um absurdo tão grande que me tirou completamente da história. Não houve cuidado nenhum em ser minimamente fiel ao esporte.

A parte da comédia não me empolgou muito também. Mas eu sou suspeito, já que tenho tendência a não gostar muito de comédia, principalmente comédia romântica. O ponto mais fraco é um personagem que é jogado no roteiro só para fazer um triângulo amoroso, mas que é tão apagado e gratuito que fiquei me perguntando o tempo todo de onde apareceu. A impressão é que foi um elemento colocado de última hora, que não foi nem um pouco desenvolvido.

Para não dizer que só falei mal, os atores principais até que tem alguma química. Pena que não tiveram um roteiro melhor para ajuda-los.

O filme é uma sequência de The Cutting Edge, de 1992. Ainda não vi esse, mas parece que o filme fez um certo sucesso na época.

Enfim, é um filme que vale para passar o tempo, mas está longe de ser uma obra prima. A não ser que você seja como eu e não consiga esquecer dos 3 meses treinando com menininhas iniciantes.

Para ver mais posts sobre filmes clique aqui (review do filme sonhos no gelo), aqui (lista com filmes de patinação) e aqui (filmes de patinação disponíveis na Netflix).


Até mais!

Glossário de patinação artística no gelo | spins

terça-feira, 11 de julho de 2017
Olá!

Hoje vamos dar continuidade ao glossário. A primeira parte foi sobre saltos. Dessa vez vamos listar termos relacionado aos spins. 


Spins

Biellmann spin: é uma posição na qual o patinador ergue a perna livre acima da cabeça e segura a lâmina.

Fonte


Camel spin: é um spin derivado das espirais (um elemento que seria o correspondente ao arabesco no balé).

 Fonte


Combinação de spins: duas ou mais posições de spin feitas em sequência.

Flying spin: são uma espécie de mistura entre saltos e spins. Os mais comuns são os flying camel spins e os flying sit spins.

 Fonte


I-spin: é um upright spin no qual o patinador ergue a perna livre formando uma posição de "I".

Fonte


Layback spin: o layback clássico é feito com um pé, enquanto o corpo se reclina para trás da cintura e com mãos acima da cabeça.

Fonte


Pancake spin: é um sit spin no qual o patinador dobra uma perna sobre a outra e posiciona o corpo por cima da perna.

Fonte


Scratch spin: é um upright spin no qual o patinador cruza a perna livre por cima do tornozelo da perna que está girando.

Fonte


Shotgun spin: é uma posição de upright spin na qual o patinador levanta a perna na frente do corpo, segurando o tornozelo.

Fonte


Shoot-the-duck: o patinador desliza agachado e levanta uma das pernas paralela ao gelo. É a posição básica do sit spin.

Fonte


Sit spin: essa modalidade de spin é feita com o corpo abaixado, e precisa de muita força muscular, principalmente na hora de se levantar. Um pré-requisito para os sit spins é um movimento chamado shoot of the duck, no qual o patinador aprende a patinar abaixado.

 Fonte


Spins (giros ou piruetas): giros com mais de uma rotação feitos com um ou dois pés.

 Fonte


Spins com mudança de pés: um spin no qual se muda a posição da lâmina interna de trás de um pé para a lâmina externa de trás do outro pé (ou vice versa), enquanto gira para a mesma direção.

Spins de dança: são os spins feitos pelas duplas de dança enquanto os dois parceiros seguram um no outro.

 Fonte


Spins de pares: é um spin no qual dois patinadores giram ao redor de um eixo enquanto seguram um no outro ou fazem o mesmo spin lado a lado. Os spins de pares diferem entre si pela posição (sit, camel, upright ou suas variações), pela direção das pernas livres dos parceiros (mesma posição ou posição oposta), pela perna da patinação (mesma ou oposta) e pelo jeito que um segura o outro (apenas um parceiro ou ambos se abraçam com mãos diferentes).

 Fonte


Upright spins: são os spins realizados com o corpo posicionado na vertical sobre o pé que está patinando.

 Fonte


Y-spin: é uma posição de upright spin na qual o patinador levanta a perna livre na vertical ao lado do corpo, criando um formato de "Y".

Fonte



Glossário | parte 1 (saltos)
Glossário | parte 2 (spins)

© Figure Skating Brasil - 2017. Todos os direitos reservados.
Design by: Thays Martins.
imagem-logo