A super geração coreana e a teoria dos 15 anos

sábado, 30 de janeiro de 2016


Quem já viu a página de Facebook do blog, deve ter encontrado a notícia de que recentemente uma garota de 11 anos venceu o campeonato nacional coreano de patinação, na categoria feminina. É a mais jovem campeã da história, superando Yuna Kim, que tinha vencido com 12 anos. Ela derrotou uma patinadora que participou das últimas Olimpíadas, So-youn Park. Mas o que mais me chamou a atenção foi que a atleta olímpica não ficou em segundo lugar, mas em quinto. Claro, foi um dia infeliz dela, mas o fato é que ficou abaixo de outras três garotas  mais novas. São elas: Choi Da-bin (16 anos), Lim Eun-soo e Kim Ye-lim (ambas com 12 anos).


O fato de uma nova geração fortíssima estar aparecendo na Coréia do Sul dá força para a teoria dos 10~15 anos. Segundo esse raciocínio, uma geração muito forte de patinadores pode aparecer inspirados por uma grande estrela que conquista um feito inédito para a patinação de determinado país. No caso coreano, temos a Yuna Kim, campeã olímpica em 2010 e vice em 2014, numa competição em que muitos afirmaram que foi injusto ela ter sido superada pela russa Adelina Sotnikova. Ela foi o grande nome da patinação feminina até sua aposentadoria após as Olimpíadas.

Yuna Kim


Se contarmos com 2010, temos 6 anos até agora. Daqui há 4 anos, essas garotas terão 15 e 16 anos, idades em que os atletas começam a competir pelo sênior em competições internacionais. 

Um fenômeno parecido aconteceu com o Japão e a Rússia. A patinadora japonesa Midori Ito conquistou a primeira medalha de prata olímpica japonesa da História na categoria feminina em 1992. A partir da segunda metade da década passada, várias patinadoras boas surgiram. Em 2006, Shizuka Arakawa venceu  as Olimpíadas. Mao Asada ganhou vários mundiais e conquistou uma medalha de prata em 2010. Miki Ando também foi campeã mundial e foi a única mulher a conseguir completar um salto quádruplo em competições.

Pela Rússia, temos o caso de Irina Slutskaya, que conquistou uma medalha de prata nas Olimpíadas de 2002, feito inédito na patinação russa. Hoje em dia, temos várias russas entre as melhores do mundo. Para se ter uma idéia, nos dois últimos Grand Prix tivemos duas russas entre as três primeiras. 

Será que a teoria está certa? Eu acho que faz sentido, pois uma grande conquista é capaz de trazer muitos novos atletas, além de atrair mais investimentos para infraestrutura e mais conhecimento sobre o esporte.

 Por enquanto, fiquem com as ótimas apresentações da nova geração coreana:


You Young - programa curto


Da-bin Choi - programa curto




Ye-Rim Kim - programa curto




You Young - programa longo




 Da-bin Choi - programa longo




 Eun-soo Lim - programa longo




Até semana que vem!


2 comentários :

  1. Essas meninas são incríveis! Adorei a teoria!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado. Vamos ver se elas realmente vão se destacar quando chegarem aos profissionais

    ResponderExcluir

© Figure Skating Brasil - 2017. Todos os direitos reservados.
Design by: Thays Martins.
imagem-logo